terça-feira, 23 de maio de 2017

Castlevania - The Lecarde Chronicles 2 (fangame) - Análise e entrevista com o criador


Para aqueles órfãos de Castlevanias estilo "Symphony of The Night", The Lecarde Chronicles 2 pode ser um fangame que ouviu ás suas preces.

Não é segredo para ninguém que o meu jogo favorito do PS1 é o Castlevania: Symphony of The Night, foi amor a primeira vista quando encontrei aquele game quando guri, na era de ouro do SNES, os jogos que eu mais joguei foram Super Castlevania 4 e Castlevania: Vampire's Kiss ( aquela adaptação horrível do Rondo of Blood de MSX) e quando numa tarde de sábado fui levado por meu pai para uma locadora que também alugava jogos de PS1, um outro guri jogava um game que apesar do personagem dele ser um boneco de cabelo branco que virava lobo e morcego, o cenário me era familiar e os inimigos também.

Lembro de ficar de queixo caído não somente por descobrir que o game em questão era um Castlevania mas também que o personagem de cabelo branco se chamava Alucard e era filho do Drácula.

Desde então Castlevania:SOTN mora no meu coração.

E senti essa mesma admiração a conhecer esse fan-game: Castlevania The Lecarde Chronicles 2.

Lançado no final de abril desse ano, pela Migami Games para PC, narra a segunda aventura de  Efrain Lecarde, um cavaleiro da Igreja Católica que anteriormente foi enviado para deter o mal que se alastrou por Segovia na Espanha( no primeiro Chronicles) agora combate um mal maior em Servign na França.

Pra quem jogou outros jogos da série Castlevania, o sobrenome "Lecarde" chama atenção, pois Eric Lecarde é um dos protagonistas que aparece em Castlevania Bloodlines e suas filhas aparecem em Castlevania Portrait of Ruin do Nintendo DS. 

Ele mistura o melhor de cada Castlevania:
  • Sistema de Exploração de Níveis do Castlevania SOTN
  • Mapas com vários cenários do Castlevania Order of Ecclesia
  • Poderes inspirados em Castlevania Portrait of Ruin e Castlevania Clássico   
  • Cutscene inspirados em Castlevania Rondo of Blood
  • Boss Fights inspirados no Super Castlevania 4 

Além dos equipamentos que você consegue durante o jogo, ele conta também com um sistema de sub-armas, as relíquias sagradas: Adaga, Cruz, Diamante, Machado e Água Benta.

Aura Sagrada em uso.
 Além disso você com outro sistema que é o de Auras, a Aura Sagrada, aprendida por ele ser um cavaleiro da Igreja e usa as sub-armas e a Aura de Von Viltheim, adquirida do clã maligno derrotado no primeiro Lecarde Chronicles.

Um dos poderes da Aura de Von Viltheim: Liese's Life Recover.
O impressionante desse projeto é que ele é feito quase que exclusivamente pelo Mig, toda a arte do game é feita 100% por ele, nada foi ripado de outros jogos da Konami. O game é dublado e conta na equipe Robert Belgrade, dublador do Alucard da versão de PS1 do SOTN, reprisando o seu papel e como narrador do jogo, além dele há a presença de Douglas Rye, o Drácula da versão de PS1 do SOTN, imortalizado com o seu dialogo no prólogo do SOTN.

O lendário vampiro Alucard também faz parte da história.
Eu consegui entrar em contato com o Mig, um dos criadores do jogo e fiz uma pequena entrevista sobre ele e sobre mais detalhes sobre esse excelente fangame. ( Obrigado ao SJ Demolay por revisar minhas perguntas em inglês).

_______________________________________________________________________________

Hermes: Assinando como "Mig", você mesmo desenvolve seus jogos desde 1997, além disso você é responsável pela tradução para o francês do seu jogo. Você poderia brevemente se apresentar e falar quando foi que sua paixão pela série Castlevania começou?

Mig: Olá a todos! Eu sempre procurei criar jogos desde que era adolescente. Com o lançamento do Clickteam's The Games Factory PC ( Software francês de criação de jogos atualizado até os dias de hoje ) em 1996 , coisas foram possíveis. Com o aprendizado de novas técnicas e com a evolução dos produtos da Clickteam's, as engines dos meus jogos foram se tornando mais e mais complexas. Minha paixão pela série começou com o lançamento do primeiro jogo em 1988 para Nintendinho. Desde então comprei todos os jogos da série ( Inclusive eu tenho um genuíno arcade "Jamma board" de Haunted Castle).

Arcade "Jamma Board" do Haunted Castle.
Uma versão arcade do Castlevania.
H: Eu fiquei realmente surpreso por ver um projeto que trouxe o dublador original do Alucard e ainda mais espantando ao ver que o Drácula também estava nele. Você pode nos contar como conseguiu trazer esses 2 para o projeto? Qual a sensação após ver finalizado esse projeto?

M: Foi o Jeffrey Montoya ( responsável pela trilha sonora) que conseguiu trazer o Robert Belgrade (Alucard) , Douglas Rye (Drácula) e os outros dubladores. Eles viram o vídeo de desenvolvimento do jogo e ficaram motivados com o projeto. Eles terem participado desse projeto foi muito importante.

Eu realmente fico encantado como o jogo tem sido apreciado de maneira geral desde o seu lançamento. Isto é importante não só para mim ou para Jeffrey Montoya, mas também para todos os contribuidores. O desenvolvimento do game foi exaustivo e eu realmente preciso de um longo tempo de descanso.

H:  Konami é conhecida por ter uma política dura com os "fangames" e outros tipos de conteúdos relacionados a seus games. Você temeu que seu jogo não fosse lançado? Você achava que seu jogo poderia ser parado por um ação de " cease and desist"?

M: Eu nunca tive problemas com a Konami desde o lançamento de Haunted Castle 2 em 1998. Quando o primeiro Lecarde Chronicles foi lançando, ele foi muito mais divulgado que qualquer outro jogo meu e também não tive problemas. Lecarde Chronicles 2 também foi bastante divulgado e muitas pessoas me falavam que temiam que ele fosse cancelado. Então a Konami disse que desde que o jogo fosse grátis, não haveriam problemas.

H: No seu site, podemos ver que tudo foi desenvolvido desde o rascunho até a arte final. Quais foram suas maiores dificuldades no seu projeto? Foram 4 anos entre o lançamento do primeiro TLC e o segundo TLC, todo esse tempo foi dedicado ao seu desenvolvimento?

Anunciado 9 de maio de 2017 pelo twitter da Migami Games.
 M: A grande dificuldade claramente são os gráficos, é a parte mais difícil e que mais consome o tempo de desenvolvimento. Antes de começar o TLC 2, nós passamos muito tempo em outro projeto que em breve iremos continuar chamado Wallachia: Reign of Dracula. TLC 2 levou 2,5 anos para ser concluído.

 H: Ambos os games possuem vários extras, como "hard mode" e "boss rush". Teremos mais alguma novidade para o segundo game?

M: Em Julho, teremos um update e iremos adicionar o Alucard como personagem jogável no modo Boss Rush.

H: Pessoas tem ideias para seus jogos favoritos e muitas delas querem criar seus fangames. Como uma pessoa que sempre fez tudo desde o rascunho, o que você pode dar de conselho para elas?   

M: Muitas pessoas tem várias ideias grandiosas mas não estão cientes sobre o quão difícil é fazer um grande projeto caseiro. Eu sugiro a começar projetos curtos e , em seguida, após muitas conquistas e aprendizados, tentar fazer um maior.

_______________________________________________________________________________










2 comentários :

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Realmente The Lecarde Chronicles, tanto o 1 quanto o 2, são excelentes jogos! Gráficos, trilha sonora, efeitos, referências, AI, etc. Senti por Lecarde Chronicles 2 a mesma paixão que senti quando conheci Symphony of the Night. E olha, já terminei várias e várias vezes mesmo com o pouco tempo de lançamento. Mig e equipe estão de parabéns pelo grande trabalho de qualidade que fizeram.

    ResponderExcluir

Deixe aqui um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...