domingo, 9 de outubro de 2011

TimeLine GTA: Parte IV - GTA III


A transição de GTA para o mundo 3D encontrou o seu primeiro obstáculo quando a equipe da DMA viu que a sua engine usada em Body Harvest já era muito ultrapassada, e criar uma totalmente nova a partir do zero não cabia na sua programação. Então, resolveram alugar uma.

Versão alpha de Gta III, repare no ônibus escolar no fundo
Em vez de licenciar uma engine de jogo proprietária, eles se tornaram uma das primeiras desenvolvedoras a usar uma middleware third-party. A escolhida foi a Renderware. Até metade de 2000, uma Liberty City básica já havia sido construída e um anti-herói sem nome (apenas referido como "Claude" em poucas linhas de código) já podia pilotar carros por ela. Novos elementos foram surgindo nos meses seguintes. Mudanças climáticas. Dia e noite. Alguns motoristas roubados revidavam. Roubar carros específicos abria missões bônus.Também  foi trabalhado um modo Multiplayer, rapidamente abandonado por questões técnicas. A equipe da DMA sabia por experiência própria o quão rápido a construção de um ambiente de mundo aberto poderia sair de controle, mas um ambiente 3D exigiu um escopo que ninguém tinha visto em um jogo antes, e todo mundo adorou isso. Em seu mundo, era permitindo que os jogadores fossem para qualquer lugar que quisessem, fizessem tudo o que quisessem, da maneira que quisessem. A jogabilidade estava ótima. E surpreendentemente, fizeram tudo isso dentro do cronograma.

Sam Houser assumiu permanente o cargo de produtor executivo da série. Dan Houser e James Worrall escreveram a história, as cutscenes, as falas dos pedestres e as falas dos DJs  e dos comerciais falsos das rádios, tudo com a maior quantidade de piadas e sátiras que eles pudessem pensar. Todo o jogo estava sendo planejado e feito da maneira mais politicamente incorreta e chocante possível.

Grand Theft Auto III estava praticamente pronto, e tinha seu lançamento planejado para o dia 2 de outubro de 2001, mas um acontecimento à apenas algumas quadras dos escritórios da Rockstar de repente criou barreiras que eles não queriam mais cruzar.

Depois dos ataques terroristas às torres gêmeas do World Trade Center Sam Houser anunciou publicamente que o lançamento de GTA III iria ser atrasado em três semanas, em seguida, toda a equipe da DMA retirou de Liberty City qualquer coisa que pudesse lembrar Nova York ou os ataques, além de voltar atrás em algumas das decisões mais polêmicas. As viaturas da polícia foram repintadas para parecer menos com as do NYPD, missões em aviões foram cortadas e o avião do jogo modificado, crianças e pedestres idosos com andadores desapareceram junto com os ônibus escolares e uma escola. As missões distribuídas pelos anarquista sem-teto Darkel contra os civis foram retiradas ou dadas em outro contexto (mais detalhes nessa matéria do blog).

As coisas mais pesadas tinha ido embora, mas GTA III ainda se tornou o pára-raios das críticas à indústria dos games. Mas isso não impediu que ele, com apenas dois meses nas prateleiras, se tornasse o jogo mais vendido de 2001.

O enredo do jogo começa inspirado nos romances pulp de Richard Stark. Um assalto à banco se transforma em uma bagunça quando Catalina, namorada do protagonista, atira contra ele e o deixa para ser preso. Depois de uma sortuda fuga do transporte de prisioneiros, "Claude", de volta às ruas de Liberty City, faz trabalhos para as organizações criminosas locais enquanto busca se vingar de sua ex.

Liberty City era o playground perfeito, o jogador podia simplesmente não aceitar qualquer missão e não avançar na história, apenas fazendo qualquer coisa que quisesse, diferente dos outro jogos que forçam os jogadores a fazer o que está programado. Você pode ganhar dinheiro honesto em táxis roubados, ir atrás de alguns criminosos como vigilante, apostar corridas pelas ruas da cidade ou casualmente atropelar civis enquanto acompanha as músicas do rádio.

Lançado inicialmente apenas para o recente PS2 (que havia sido lançado à apenas um ano), Grand Theft Auto III tornou-se um dos grande fatores que fez o console da Sony ser o líder da geração passada. O simulador de crimes da rockstar se tornou um must-play para qualquer pessoa que fosse madura o suficiente para reconhecer que era apenas um jogo. Para os críticos foi, mais uma vez, um prato cheio. O jogo foi proibido na Austrália e recebeu várias ações judiciais do advogado americano Jack Thompson (que ainda vai aparecer bastante por aqui). Varejistas como o Wal-Mart finalmente começaram a checar a identidade de qualquer um que fosse comprar um jogo M-Rated (para maiores de 17 anos). Anos depois, ele continua sendo um dos jogos mais vendidos, melhor avaliados e mais criticados de todos os tempos.

Esse trailer mostra muito bem o ponto de vista da Rockstar em meio a polêmica

E os problemas estavas apenas começando.

Fim da parte 4.
Fonte: IGN

Para acompanhar as próximas partes da matéria, siga o Twitter do blog, o @Neogamerbr.

3 comentários:

  1. adoro a trilha sonora desse jogo é uma das melhores

    ResponderExcluir
  2. Só de ler já me deu vontade de reinstalá-lo!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Deixe aqui um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...