domingo, 22 de maio de 2011

TimeLine Sega: Parte V - Finalmente, o sucesso


Esse post é continuação direta da parte 4 da TimeLine Sega.

A história provaria que os esforços de Michael Katz de trazer os jogos esportivos e a propaganda agressiva contra a Nintendo, no final, seriam bem sucedidos, mas seu estilo de gestão não combinava com as grandes ambições de Hayao Nakayama (presidente da Sega na época). A falha de Katz em atingir suas metas de venda de um milhão de unidades do Mega Drive provavelmente não foi o único motivo de ele ser tirado de seu cargo. Na verdade, eles começaram a procurar um substituto, não muito tempo depois de que ele começou a trabalhar na empresa. Eles queriam um tipo diferente de gestor, um líder positivo e ambicioso, que poderia vender o seu sonho para os outros.

Tom Kalinske era exatamente o homem de que precisavam. Um veterano da indústria de brinquedos, Tom sabia como colocar um produto nas prateleiras e nas mentes das crianças. Ele já havia dirigido a Mattel durante a ascensão do Intellivision e a ajudou a resistir ao crash. A SEGA já tinha tentado contratá-lo em 1984, e cinco anos depois, eles ainda se lembravam dele como exatamente o tipo de homem que eles precisavam.

Em uma entrevista, ele narra como foi seu recrutamento:
"Eu estava de férias no Havaí. Uma sombra bloqueou o sol, e eu olhei para cima e era Hayao Nakayama. Ele disse: 'O que você está fazendo aqui?' e eu disse, 'Eu estou tentando conseguir um bronzeado com a minha família, e você está na frente. " Ele disse, 'Volte para o Japão comigo. Eu quero lhe mostrar uma tecnologia realmente boa. " Então, eu fui para o Japão com ele e lá, além da recente tecnologia de 16 bits, ele me mostrou em primeira mão o que viria a ser o Game Gear [...] ele era muito superior a qualquer outro portátil da época. Então, eu decidi unir-me a eles, porque eu pensei que realmente havia uma chance da SEGA ultrapassar a Nintendo no mercado dos videogames. Entrei na empresa no segundo semestre de 1990. "
Kalinske foi nomeado CEO da SEGA of America. Katz ficou como presidente por um curto período de tempo, enquanto Tom aprendia como tudo funcionava. Kalinske tinha pouca experiência na indústria dos videogames, pois apenas havia lidado com o Intellivision em um cenário bem diferente, e nos primeiros meses, ele apenas observou e avaliou cuidadosamente a situação, deixando alguns se perguntando se ele era realmente o líder de que precisavam. Depois de alguns meses, ele viu uma série de problemas, veio com um plano. Primeiro de tudo, o preço do Mega Drive era era muito alto. Por US $ 189, o Mega acabaria se torrnando o "console dos meninos ricos" especialmente porque seu principal concorrente era, na época, ainda o velho e barato NES. Em segundo lugar, ele sentiu que a propaganda da Sega não era boa o suficiente, e eles realmente precisavam dar um impacto com seus comerciais.

Por último, Kalinske estava com medo que a estratégia do "arcade-em-casa" fosse muito limitada, e que eles tinham que fazer mais para definir o Mega Drive como uma experiência própria. Além disso Kalinske temia que os zumbis e feitiçaria de Altered Beast, que vinha com o console, poderiam passar uma imagem negativa para os pais. Para substituí-lo, ele queria um blockbuster, e Sonic the Hedgehog já estava a caminho.

Uma vez que ele solidificou seu plano, ele foi para o Japão e mostrou as suas ideias para Hayao Nakayama e o conselho de administração. Eles não conseguiram compreender suas idéias. Eles temiam que o corte no preço pudesse dar prejuízo, que ignorar a comparação com o arcade seria negligenciar o grande poder do console e que dar o seu maior jogo (Sonic) significava perder a chance de ganhar muito dinheiro.

Kalinske lembra:
"Eles estavam falando em japonês e eu não tinha a menor idéia do que estava acontecendo. Quando chegaram à porta, Nakayama disse," Ninguém nesta sala concorda com nada do que você disse. " Eu pensei, 'Que bom, foi uma carreira curta. Eu acho que eu vou ter que procurar outro emprego.' Então Nakayama disse, "Mas nós te contratamos para inverter esta situação, então vá em frente e faça o que quiser que nós vamos financiá-lo. '"
Nakayama colocou sua confiança em Kalinske, e lhe deu o sinal verde para tentar as coisas da maneira dele. Então a SEGA lançou a sua famosa campanha "Welcome to the Next Level", marcada pelo Sega Scream, dando à empresa uma mais ousada, quase arrogante aparência, alimentando ainda mais a guerra de fanboys nas escolas. O Game Gear foi apoiado por um anúncio que comparava os proprietários do Game Boy com cachorros, e os conceitos nebulosos como o "Blast Processing" foram usados para enquadrar o Mega Drive como o único sistema para os amantes dos jogos de ação.

O maior benefício para o console veio no verão de 1991, quando Sonic the Hedgehog foi lançado em todos os três principais territórios. Assim como Kalinske queria, o jogo veio embalado com os novos Mega Drives por US$ 149, pouco antes do Super Nintendo ser lançado com Super Mario World por US$ 199. Ambos os pack-ins provaram ser ser dignos killer apps, mas Sonic era diferente, ele era perfeito para a estratégia da Sega. Super Mario World era um jogo preso as suas raízes de 8 bits, enquanto Sonic era novo, acrobático e, o principal, ele era muito rápido . A Sega não perdeu a oportunidade de tentar passar a idéia de que Mario era um jogo ultrapassado.



Na época do lançamento do Super Nintendo lançado nos EUA, a Sega já tinha feito um bom trabalho em derrotar o a NEC e seu TurboGrafx-16 e obteve um avanço considerável no mercado de 16 bits, mas a guerra ainda era difícil. No Japão, a SEGA não tinha se saído tão bem, com arrogância, eles ignoraram as estratégias da divisão norte-americana. O Mega Drive estava perdendo para  NEC, e o Super Nintendo foi o último prego no caixão do console. Eles tiveram muito mais sucesso do que nas duas gerações, mas foram os Estados Unidos e a Europa que sustentaram o console.

O crescimento da Sega foi meteórico, chegando a ultrapassar a Nintendo por um tempo. Nesse período, eles foram reis, mas a coisa mais impressionante sobre a indústria de jogos, é que nenhum império dura para sempre.

Fim da parte 5.
Fonte: IGN (inglês)




Um comentário :

Deixe aqui um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...