domingo, 19 de fevereiro de 2012

TimeLine Street Fighter - Parte 8: O retorno


O time que trabalhou em Street Fighter II tinha se dispersado, mas um membro da equipe de design do primeiro Street Fighter ainda estava por perto. A fama de Keiji Inafune cresceu muito na Capcom desde que ele assumiu um trabalho de design em 1987 e o transformou em Mega Man. Agora, ele era o chefe da equipe de pesquisa e desenvolvimento da Capcom.

Vindo do bem aceito Shadow of Rome, Yoshinori Ono foi designado para o quarto jogo da série Onimusha, Dawn of Dreams, de 2006. Ele adicionou roupas destraváveis nesse jogo, que permitia Soki e seus companheiros se vestirem como Ryu, Ken, Cammy, Chun-Li e Guile.



Ono era um grande fã de Street Fighter. Seus primeiros trabalhos na Capcom foram em jogos da série.
Quando os jogadores e imprensa mostraram reação positiva as skins de personagens do Street Fighter em seu Onimusha, ele levou esse feedback a Inafune. Se as pessoas ficaram tão empolgadas com algumas roupas, isso significava que elas estavam ansiosos para um novo jogo.... e se isso acontecesse, Ono deixou bem claro que queria cuidar de tudo.

Inafune concordou. Street Fighter IV estava a caminho, com Ono no comando.

Namco x Capcom
Enquanto Namco X Capcom colocava alguns personagens de Street Fighter no meio de um RPG de ação/tático, uma gigantesca pesquisa de mercado e debates internos na Capcom eram feitos para decidir que caminho IV deveria seguir. Nenhum dos estilos artísticos usados anteriormente seria usado. A lista de personagens seira focada nos favoritos dos fãs, em vez de novatos. E o mais importante: Street Fighter não abandonaria seu plano 2D de combate, mesmo agora seus combatentes e cenários sendo totalmente em 3D. A produtora Dimps entrou como co-desenvolvedora para ajudar a manter essa visão.

Com essas decisões tomadas, Ono começou a trabalhar nos detalhes. Seu plano era levar a série de volta ao básico, evocando os melhores elementos do seu favorito, Super Street Fighter II Turbo. Super Combos se transformaram nos cinemáticos Ultra Combos sua "barra de vingança", alimentada primariamente pelos danos sofridos. Mas Ono queria tirar o foco na jogabilidade combo vs. combo constante, e trazer elementos mais táticos de volta; a resposta foram os Focus Attacks, uma maneira de absorver ataque eminentes e devolvê-los. isso serviu tanto para contra-atacar quanto para desmotivar os jogadores que apenas ficavam fazendo cadeias infinitas de combos.

Street Fighter IV foi oficialmente anunciado em outubro de 2007, 10 anos depois da chegada de SF III, instantaneamente dobrando a pressão encima de Ono. IV ainda passou por um número gigantesco de de ajustes. Ono queria que tudo estivesse perfeito.

Ele chegou aos arcades japoneses em julho de 2008, com alguns pequenos previews para o mercado americano. A revista Arcadia o elegeu o seu jogo do ano.

Alguns lançamentos de 2008 apareceram para tentar dividir um pouco a atenção.

Tatsunoko vs. Capcom: Cross Generation of Heroes (Ultimate All-Stars no ocidente), colocou os Street Fighters, Soki de Onimusha e outros personagens da Capcom contra personagens de animes como Gatchaman, Casshern, Tekkaman, dentre outros. Ele foi lançado no ocidente para Wii com algumas alterações.

A Blackborne Entertainment colocou Super Street Fighter II Turbo HD Remix na Xbos Live e PSN. Remix conseguiu remasterizar com maestria o antigo jogo, com novos gráficos em alta definição, desenhados a mão pelo estúdio UDOM, e ajudou a preparar o terreno para a chegada de Street Fighter IV.
 Comparação entre os gráficos originais os do HD Remix

Os doze personagens de Street Fighter II estavam de volta para o IV. O mestre de Ryu e Ken, Gouken se tornou jogável pela primeira vez.  Novos combatentes, como o luchador El Fuerte; o "grande" rival de Ken, Rufus; o francês Abel e a agente da CIA C. Viper vieram para adicional algo de novo. Akuma e os quatro vilões clássicos estão de volta, mas o grande vilão dessa vez é Seth, um antigo ciborgue da Shandaloo. Mais seis personagens clássicos, alguns escolhidos pelos fãs em votações, apareceram nas versões caseiras do jogo, que finalmente chegou ao Xbox 360, PS3 e PC em 2009, pela primeira vez trazendo batalhas online, tornando o numero de desafiantes infinito. Os reviews de todas as versões foram em sua grande maioria altamente positivos.

Para não perder o costume de lançar versões atualizadas de seus jogos, a Capcom trouxe no ano seguinte Super Street Fighter IV, com dez personagens a mais e várias melhorias na jogabilidade, baseadas no fedback dado pelos fãs. Posteriormente ainda foi lançado um DLC baseado na última versão de arcade.


Street Fighter IV não foi apenas um retorno triunfal para a série, mas sim para todo o gênero. A volta de séries como Marvel vs. Capcom e Mortal Kombat e a criação de várias outras, como Blazblue é a prova de que os jogos de luta voltaram com tudo. Atualmente Ono está trabalhando em Street Fighter vs. Tekken, e parece que não irá parar por aí.

Fim da TimeLine Street Fighter.
Fonte: IGN (inglês)


Semana que vem começa a votação para o próximo tema.

4 comentários :

  1. Parabens. Post épico!

    ResponderExcluir
  2. Cara otimo post, sou fissurado na série. tenho todos os streets. Dizem que gosto de video-game, mas eu gosto mesmo é de street fighter. Atualmente jogo a série IV vez ou outra brinco no 3rd Strike Online que saiu pra ps3 e xiboca. Acho o 3rd Strike um dos melhores, mas foi incompreendido pela maioria das pessoas. Só nao to muito empolgado com esse cross que saira mes que vem. Espero ser surpreendido mais uma vez e que Street X Tekken seja tao bom quanto a série IV. Valeu abraço

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo esforço! Curti!

    ResponderExcluir

Deixe aqui um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...