segunda-feira, 13 de junho de 2011

A história de vida de Ralph Baer, o "pai" dos videogames


Ralph Baer é amplamente reconhecido como o "pai dos videogames", graças ao seu pioneiro trabalho na década de 1960 no dispositivo que se tornaria o Magnavox Odyssey, o primeiro videogame caseiro do mundo.

Ralph H. Baer nasceu em 08 de março de 1922, filho de pais judeus, na cidade de Pirmasens, no sudoeste da Alemanha. Essa, sem dúvida, não foi uma boa época para uma criança judia crescer na Alemanha.

Em 1933, Baer foi expulso de sua escola, não porque ele era um encrenqueiro ou de um mau aluno, mas simplesmente porque ele era judeu. Ele foi forçado a ir para uma nova escola, onde todos eram judeus. Era evidente que a Alemanha estava rapidamente se tornando um lugar perigoso para as pessoas de sua etnia/religião morarem, então, em 1938 (apenas dois meses antes da terrível Noite dos Cristais),  Baer fugiu para a Holanda, e em seguida para os Estados Unidos.

Depois de seguro na América, não demorou muito para ele começar a trabalhar no campo da eletrônica, graduando-se como técnico de rádio do National Radio Institute em 1940. Nos três anos seguintes, ele dirigiu uma loja em Nova York, que consertava, além de rádios, sistemas alto falantes televisões.

Soldado R. Baer durante a Segunda Guerra
A Segunda Guerra Mundial interrompeu seu empreendimento, quando em 1943 Baer foi convocado pelo Exército Americano. Ele trabalhou serviço de inteligência, onde primeiramente escreveu documentos de treinamento para as tropas aliadas (como identificar uniformes alemães, o funcionamento das armas alemãs, etc), e mais tarde foi enviado ao quartel do General Eisenhower.

Se não fosse por uma doença, no entanto, as coisas poderiam ter sido muito diferentes. Em maio de 1944, Baer foi separado da sua unidade, por uma confusão burocrática, e foi designado, ao lado de alguns soldados da reserva, para a invasão da Normandia. Durante o treinamento, no entanto, Baer contraiu pneumonia, e foi enviado para um hospital militar, onde, de cama, ele completou um curso de álgebra por correspondência.

Dentro de algumas semanas a sua antiga unidade de inteligência o encontro e ele novamente se juntou a eles. Foi somente mais tarde que Baer soube que a tropa com a qual ele treinou, fez parte dos desembarques do Dia-D.

Durante a guerra, Baer não se transformou de um perito em rádios ou comunicações, como seria de esperar dada a sua formação, mas sim em armas pequenas (pistolas, rifles, metralhadoras, etc). Quando a guerra acabou, Baer conseguiu levar 18 toneladas de armamento inimigo e aliado não-americano aos Estados Unidos, com o qual ele fez várias exposições, com o consentimento do exército.

Em 1949, ele se graduou no American Television Institute of Technology, como um dos primeiros Bacharéis em Ciência em Engenharia de Televisão do mundo, e de lá pra cá não parou mais.

Baer iniciou o desenvolvimento da "Brown Box" (o protótipo do primeiro videogame) e diversos outros protótipos, incluindo a primeira light Gun em 1966 para a Sanders Associates. Em 1971, seu protótipo foi rebatizado como Magnavox Odyssey, e lançado em 1972.
Brown Box
Outra invenção dele é o Genius (Simon nos EUA), aquele jogo eletrônico de memorização de cores que foi muito popular na década de 1970 e 1980.

Além de seu trabalho na área do entretenimento, Baer trabalhou em uma série de outros projetos eletrônicos de grande porte, incluindo os equipamentos de lançamento de foguetes Saturn V da NASA.

Hoje, aos 89 anos, ele possui mais de 150 patentes, e em 2006 foi condecorado com a "National Medal of Technology" pelo presidente George W. Bush por seu trabalho pioneiro na indústria dos videogames.

Fonte: Kotaku US (inglês)

7 comentários :

  1. Interessante a história dele. Já havia assistido o review do Odyssey no vídeo do AVGN e esses dias assisti mais uma vez, e penso que para a época em que foi lançado, era bem legal, as pessoas tinham mesmo que usar a imaginação. O que será que ele acha dos consoles hoje em dia ?

    ResponderExcluir
  2. Esse cara é um genio! uma pena o reconhecimento vir tarde. mas como dizem, antes tarde do que nunca.

    ResponderExcluir
  3. Pra mim William Higinbotham chegou antes de Ralph Baer e com um jogo bem melhor...

    ResponderExcluir
  4. William Higinbotham é o pai dos jogos eletrônicos e Ralph Baer é o pai dos videogames que você tem em casa.

    ResponderExcluir
  5. Pow, história muito bacana.
    E o que eu acho mais legal de tudo é que, ele está vivo até hoje e pode ver a evolução dos video games.

    ResponderExcluir
  6. Será que ele joga Point Blank? kkk
    rss Vlw por inventar uma coisa tão legal, mano.
    Sou fã desse cara! rss

    ResponderExcluir
  7. Boa materia...E assim que se faz um pais ,com homens e livros!!!

    W crispim

    ResponderExcluir

Deixe aqui um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...